Queria conseguir
escrever
sem citar
teu nome
nas entrelinhas.
Verseto 
O amor não tem inércia.
Elisa Bartlett  
O amor me mata todos os dias.
Roma, 1994.   
Temporal

Tenho medo dessa chuva
Torrencial.
Que cai aqui no meu quintal.

Tô perdida no vendaval,
Que me joga pra lá
E pra cá.

Eu quase morro 
Com esse estrondo.
Meu coração bate forte.
Eu estou fora de mim

Tem um furacão
E eu acabo perdendo.
Flutuo pra bem longe.

Me jogo no ar.
Eu sumo,
E fim.

- A.N

Bastaria as pessoas serem mais sinceras, honestas e humildes, que veríamos comportamentos maravilhosamente diversificados, personalidades espontaneamente interessantes, equívocos rapidamente resolvidos, decisões amplamente mais libertas, preconceitos instantaneamente eliminados e atitudes surpreendentemente menos egoístas.
Friedrich Nietzsche.